O rolo médico envolvendo a realização da temporada 2020 da NFL
Enquanto a NFL tenta de todo jeito trabalhar junto com a representação dos jogadores para elaborar protocolos minimamente seguros para realizar a temporada 2020, o especialista do governo americano Dr. Anthony Fauci duvida que seja possível
21/06/2020 12h19
A NFL foi a liga com o melhor "timing", se é que podemos chamar assim, no que se refere a pandemia global da Covid-19. Sendo um liga que concentra todos os seus jogos no segundo semestre, a NFL viu a temporada da NBA ser atingida no seu ápice e a temporada da MLB ser impossibilitada de começar, enquanto ainda aguarda até o final de julho para que os jogadores sejam obrigados a se reapresentar às suas respectivas franquias.

Ainda assim, a volta aos gramados preocupa a todos, principalmente com os Estados Unidos integrando, junto ao Brasil, o clube dos países liderados por lunáticos genocidas que vêem a morte da população mais velha e/ou mais carente como vantagens enormes e não como problemas graves.

No dia 17 de julho, o médico chefe da NFL, Dr. Allen Sills, se pronunciou informando que a NFL não conseguiria copiar o modelo da NBA de concentrar os times no mesmo lugar e realizar todos os jogos no mesmo estádio, declarando que vão focar na testagem, rastreio e informação, com o isolamento imediato de todo aquele que testar positivo (os testes vão incluir arbitragem e podem acontecer de 3 em 3 dias). Um dia depois, o especialista do governo americano, Dr. Anthony Fauci, declarou considerar muito difícil que a NFL consiga realizar a temporada sem que execute um modelo como o da NBA.

Aqui, vale uma explicação: a NBA não voltará com todos os times, lá em Orlando, pois a temporada já estava avançada. Além disso, cada time conta com até 15 jogadores, enquanto a NFL voltaria no final de julho com mais de 90 jogadores por elenco. Isso sem falar na comissão técnica e todos os demais profissionais envolvidos no dia-a-dia das franquias. Não, não dá pra fazer uma bolha para o futebol americano.

Em 18 de junho, foi a vez do Dr. Thom Mayer, representante da NFLPA (sindicato dos jogadores), se pronunciar, falando como estão tentando, junto à liga, trabalhar em protocolos que levem em consideração o cenário concreto que estão enfrentando, alertando que seria eticamente irresponsável que a NFL, como serviço não essencial, interferisse no acesso da população à bens básicos como a testagem. Isso vai em linha com a ideia de testar todos os envolvidos a cada três dias. Os EUA não testam nem perto do ideal e se há testes para serem realizados por atletas profissionais a cada três dias. deveriam haver testes para o restante da população. Esta discussão é muito complicada.

Também Mayer foi quem, no dia 20 de junho, alertou os jogadores para não realizarem treinamentos voluntários entre si, já que a prática atrapalharia muito o rastreio dos jogadores e facilitaria a contaminação. 

Tudo isso serve para mostrar como não vai ser fácil sequer estabelecer os melhores protocolos para a realização da temporada de 2020, quanto mais segui-los à risca. Nossa torcida não é para que a temporada simplesmente aconteça, mas que ela aconteça de uma maneira que não agrave uma situação já muito séria. O futebol americano e o esporte como um todo não estão acima da vida das pessoas e o respeito pela batalha coletiva contra a pandemia deve ser a prioridade.

O duro é que tanto a liga quanto os jogadores tem motivação financeira de sobra para que a temporada seja realizada e em um mundo onde o dinheiro sempre fala mais alto que as vidas, que a saúde pública e o bem coletivo, o medo é que a realização da temporada 2020 possa significar uma violência enorme.




Obrigado por comentar!
Erro!