Situação no estado do Arizona aumenta os alarmes sobre a realização (ou não) da temporada 2020
Em meio à um aumento significativo no número de casos, o governador Doug Ducey, do Arizona, resolveu interromper a reabertura e estabelecer restrições que podem afetar eventos como jogos da NFL
01/07/2020 16h21 - por Marcelisco
Mesmo com o Coronavírus comendo solto, o Arizona caminhava para uma reabertura da economia. Caminhava, porque com um aumento de casos que passou de quase 47.000 para 75.000 em 10 dias, o governador Doug Ducey, do partido republicano. resolveu que a reabertura deveria ser interrompida, determinando que pelos próximos 30 dias bares, academias, cinemas e demais negócios permaneçam fechados e, e é aí que queríamos chegar, proibindo a realização de eventos com mais de 50 pessoas.

Você pode já ter reparado que, mesmo sem torcedores, uma partida da NFL tem um número de pessoas que passa de 50 com tranquilidade. Aproveito para chamar atenção para o fato de que o prazo de 30 dias termina um dia depois da data estabelecida pela NFL para que os times se encontrem para os training camps. Pois é.

Em uma liga que preza tanto pela paridade, por um suposto equilíbrio de forças entre todas as franquias, mesmo com a regra de que cada time será responsável por determinar quantas pessoas poderão frequentar seus estádios, a diferença é sensível. Ou alguém duvida do peso de enfrentar o Kansas City Chiefs, no Arrowhead Stadium, ou o Seattle Seahawks, no CenturyLink Field, fazendo barulho digno de recorde mundial?

A NFLos times e até os jogadores tentam de todas as formas estabelecer protocolos e procedimentos que permitam que a temporada aconteça da melhor forma possível, mas a verdade é que com o tempo acabando até o começo da reapresentação dos jogadores no final de julho, a liga vai ficando cada vez mais encurralada, principalmente com a desconfiança dos especialistas a respeito da possibilidade de passar pela temporada 2020 com segurança.

Se um time for proibido de ter torcida, enquanto outro vai lá e enche o estádio, que equilíbrio é esse? Isso falando apenas do ponto de vista competitivo. Se olharmos para a questão financeira, os times têm um belo prejuízo para enfrentar não permitindo que a torcida assista seus jogos in loco (claro, a grana da televisão tá garantida - se tiver temporada), enquanto seus rivais em estados reabertos poderão permitir lotação máxima.

A situação é muito sensível e muito difícil de contornar, independente da ideia estapafúrdia que aparecer pela frente, como a mais recente de que os times voem para os jogos e de volta para casa no mesmo dia do jogo. O Dr. Anthony Fauci já falou que sem colocar os jogadores em um bolha, como vai fazer a NBA, é muito difícil de imaginar a temporada se realizando. Do jeito que a coisa vai, parece que se tivermos uma temporada em 2020, será às margens das melhores práticas sanitárias recomendadas pelos especialistas.

O dinheiro sempre fala mais alto no mundo capitalista e a NFL é uma indústria que move bilhões de dólares.      




Obrigado por comentar!
Erro!