Jogadores não querem jogar pré-temporada e alguns não querem jogar coisa alguma
A situação da temporada 2020 começa a azedar ainda mais, com a representação dos jogadores realizando reunião onde ficou estabelecido que os jogadores não querem jogar a pré-temporada e, mais, alguns levantaram a questão do porquê de voltar a jogar enquanto o vírus come solto
03/07/2020 15h52 - por Marcelisco
A NFL bem que tentou, do alto de sua boa vontade e interesse de deixar explícito que quem manda é ela, reduzir a pré-temporada 2020 em razão da pandemia de Coronavírus. Foi mais um dos esforços da liga para tentar garantir que a temporada 2020 vai acontecer, a despeito do que pensam especialistas como o Dr. Anthony Fauci, do governo americano. Mas a liga não é feita só por cartola e os jogadores, obviamente, querem ter algo a dizer.

Como avisamos, a NFLPA (NFL Players Association), sindicato dos jogadores da liga, não concorda nada nada com o planejamento que a liga fez sozinha e tem um planejamento todo próprio. A começar que, nesta reunião, os jogadores expuseram que não tem interesse em jogar a pré-temporada e, ato contínuo, a NFLPA trouxe um planejamento bem diferente do da liga que substitui toda a pré-temporada pela seguinte sequência (cortesia do insider Tom Pelissero), começando no final de julho com a apresentação para os training camps, terminando imediatamente antes da semana 1:

3 dias de avaliações médicas
21 dias de fortalecimento e condicionamento físico
10 dias de treinamentos em campo sem equipamentos
14 dias de treinamentos em campo com equipamentos, com previsão de 8 e um máximo de 10

Mike Garofolo, outro insider da NFL Network, também reportou que, nesta mesma reunião, alguns jogadores questionaram o motivo para a liga voltar a jogar, enquanto o coronavírus se apresenta como um perigo real, constante e em crescimento no país, para o que os médicos presentes na reunião (Dr. Thom Mayer, da NFLPA, e Dr. Allen Sills, da NFL) responderam que a escolha de cada um é pessoal.

A dinâmica de que cada um escolhe se vai, obedece muito à dinâmica dos trabalhadores que não praticam esporte como profissão: quem ganha mais tem mais chance de obedecer as restrições sanitárias, enquanto quem ganha menos acaba tendo uma chance muito maior de se sujeitar ao risco de contrair um vírus potencialmente fatal (e espalhá-lo por aí, é claro). A situação é ainda mais crítica quando pensamos que alguns times querem reduzir o elenco dos training camps de 90 para até 75 jogadores, ou seja, muito menos jogador terá a chance de conseguir cavar uma vaguinha no time que lhe der espaço, jogando um monte de veterano e calouro num bolo de gente que sequer poderá tentar.

Outra discussão que apareceu na reunião dos jogadores foi a possibilidade de que venham a ser multados aqueles que desobedecerem às normas de isolamento e distanciamento social, ou que venham a, publicamente, desprezar a seriedade da pandemia, mas ainda parece não haver acordo sobre isso mesmo internamente e, portanto, é uma discussão que fica em aberto.

Vamos ver como a questão evolui já que a NFL acredita que, de acordo com o Acordo Coletivo vigente, tem direito de decidir sozinha sobre a pré-temporada. Nosso apoio, como você sabe, está sempre com os trabalhadores.


Ilustração de Guga Sanches




Obrigado por comentar!
Erro!